Capitanias Hereditárias - Resumo

As Capitanias Hereditárias, resumo, criação, objetivos, donatários, administração colonial

Mapa das Capitanias Hereditárias
Mapa das Capitanias Hereditárias



As Capitanias Hereditárias e a Administração colonial

 

As Capitanias hereditárias foi um sistema de administração territorial criado pelo rei de Portugal, D. João III, em 1534. Este sistema consistia em dividir o território brasileiro em grandes faixas e entregar a administração para particulares (principalmente nobres com relações com a Coroa Portuguesa).

 

Este sistema foi criado pelo rei de Portugal com o objetivo de colonizar o Brasil, evitando assim invasões estrangeiras. Ganharam o nome de Capitanias Hereditárias, pois eram transmitidas de pai para filho (de forma hereditária).

 

Estas pessoas que recebiam a concessão de uma capitania eram conhecidas como donatários. Tinham como missão colonizar, proteger e administrar o território. Por outro lado, tinham o direito de explorar os recursos naturais (madeira, animais, minérios).

 

O sistema não funcionou muito bem. Apenas as capitanias de São Vicente e Pernambuco deram certo. Podemos citar como motivos do fracasso: a grande extensão territorial para administrar (e suas obrigações), falta de recursos econômicos e os constantes ataques indígenas.

 

O sistema de Capitanias Hereditárias vigorou até o ano de 1759, quando foi extinto pelo Marquês de Pombal.

 

Capitanias Hereditárias criadas no século XVI:

 

Capitania do Maranhão

 

Capitania do Ceará

 

Capitania do Rio Grande

 

Capitania de Itamaracá

 

Capitania de Pernambuco

 

Capitania da Baía de Todos os Santos

 

Capitania de Ilhéus

 

Capitania de Porto Seguro

 

Capitania do Espírito Santo

 

Capitania de São Tomé

 

Capitania de São Vicente

 

Capitania de Santo Amaro

 

Capitania de Santana