PUBLICIDADE

Os Inconfidentes da Inconfidência Mineira

Nome dos principais inconfidentes com respectivas profissões que participaram da Inconfidência Mineira

Nomes dos inconfidentes da Conjuração Mineira
Nomes dos inconfidentes da Conjuração Mineira

 

Pergunta:

 

Quem eram os inconfidentes que participaram da Inconfidência Mineira em 1789? Quais as profissões de cada um deles?

 

Resposta:

 

Os principais inconfidentes foram:

 

- Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes): era alferes (oficial militar abaixo de tenente). Também foi dentista prático, tropeiro e comerciante. Atuou, principalmente, como divulgador do movimento entre as pessoas mais simples do povo. Entre todos os líderes, ele era o que tinha uma vida mais modesta. Recebeu a pena mais dura entre todos os inconfidentes.

 

- Cláudio Manuel da Costa: poeta, minerador e advogado mineiro.

 

- Tomás Antônio Gonzaga: poeta, jurista e ativista político português.

 

- Inácio José de Alvarenga Peixoto: poeta e advogado carioca.

 

- José da Silva e Oliveira Rolim: padre mineiro.

 

- Carlos Correia de Toledo e Melo: padre católico paulista.

 

- Manuel Rodrigues da Costa: padre e político mineiro.

 

- Francisco de Paula Freire de Andrade: tenente-coronel carioca.

 

- Joaquim Silvério dos Reis: fazendeiro, dono de mina e coronel. Nascido em Portugal, foi o principal delator do movimento da Inconfidência Mineira.

 

- Domingos de Abreu Vieira: tenente-coronel e comerciante português.

 

- Salvador Carvalho do Amaral Gurgel: cirurgião prático fluminense.

 

- José Resende da Costa: militar mineiro.

 

- Luiz Vaz de Toledo Piza: militar paulista.

 

- Domingos Vidal de Barbosa Lage: médico e poeta carioca.

 

- José Álvares Maciel: engenheiro e político mineiro.

 

- Vicente Vieira da Mota: capitão e guarda-livros português.

 

- João da Costa Rodrigues: dono de estalagem mineiro.


Retrato do inconfidente Tomás Antônio Gonzaga

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tomás Antônio Gonzaga: um dos inconfidentes mais ativos na Conjuração Mineira de 1789.

PUBLICIDADE