Marquesa de Santos - biografia resumida

Biografia resumida da Marquesa de Santos, quem foi, história, relação de Domitila de Castro com D. Pedro I, curiosidades, nome completo.

Domitila de Castro Canto e Melo: a Marquesa de Santos
Domitila de Castro Canto e Melo: a Marquesa de Santos

 

Biografia resumida

 

Domitila de Castro Canto e Melo nasceu em São Paulo em 27 de dezembro de 1797. Filha de João de Castro Canto e Melo, coronel reformado e inspetor das repartições de estradas da cidade de São Paulo, e de Escolástica Bonifácia de Oliveira Toledo Ribas, era descendente de tradicional família paulista.


Contraiu matrimônio em 1813 com Felício Pinto Coelho de Mendonça, oficial do segundo esquadrão do Corpo dos Dragões de Vila Rica. D. Pedro I conheceu Domitila em 1822 durante sua viagem por São Paulo, dias antes de proclamar a Independência do Brasil. Uma vez coroado, convidou-a para se mudar para o Rio de Janeiro e ofereceu-lhe um escritório no Tribunal, colocando-a no séquito da imperatriz como sua dama de companhia. Lá, ela conseguiu ter seu primeiro casamento anulado em 1824.


Em 1826, o imperador concedeu-lhe o título nobiliárquico de Marquesa de Santos, o que não foi visto com bons olhos pela aristocracia, especialmente pela família de José Bonifácio, o Patriarca da Independência e uma das personalidades mais eminentes da cidade de Santos. D. Pedro I concedeu ainda títulos às suas três filhas (as duquesas de Goiás e Ceará e a condessa de Iguaçu ) e insistiu em que fossem educadas com as princesas reais. A irmã da marquesa, por sua vez, foi feita Baronesa de Sorocaba e se juntou ao extenso rol de amantes reais.


Maria Leopoldina, a imperatriz, morreu em 1826 devido a complicações causadas por um aborto espontâneo, mas a opinião pública considerou a marquesa responsável pelas queixas e humilhações sofridas por ela. Como Domitila não era uma opção, d. Pedro I escolheu para seu segundo casamento a jovem princesa bávara Amélia de Beauharnais von Leuchtenberg, neta da imperatriz Josefina. Posteriormente, dispensou Domitila, que retornou a São Paulo. Lá ela se casou novamente com o brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar .


Domitila de Castro teve ao todo catorze filhos, e morreu de enterocolite em sua terra natal, São Paulo, em 3 de novembro de 1867, aos 69 anos. Seu corpo foi enterrado no Cemitério da Consolação. O solar, onde viveu em São Paulo, hoje abriga parte do Museu da Cidade de São Paulo.



Fontes:


https://pt.wikipedia.org/wiki/
Domitila_de_Castro_Canto_e_Melo


https://www.ebiografia.com/marquesa_de_santos/


https://www.revistaforum.com.br/
ok-uma-outra-historia-da-marquesa-de-santos/