Regência Una de Feijó - resumo

O que foi, principais características do período, resumo, história, problemas enfrentados.

Padre Feijó: regente do Brasil de 1835 a 1837
Padre Feijó: regente do Brasil de 1835 a 1837

 

O que foi a Regência Una de Feijó

 

Após a abdicação de D. Pedro I, em 1831, seu filho era menor de idade e o Brasil foi governado por regentes até que o herdeiro ao trono tivesse condições de assumir o cargo.

 

Eleições e escolha do padre Feijó para ser regente

 

Em 1835, durante o período regencial, ocorreram eleições para a escolha de um regente para o Brasil. Foi eleito, na ocasião, o padre Diogo Antônio Feijó, que venceu por uma pequena margem de votos o outro candidato, que era Antônio Holanda Cavalcante, representante dos fazendeiros nordestinos.

 

O padre Feijó foi apoiado pelas províncias da região Sul e também por Goiás e Minas Gerais.

 

Problemas enfrentados

 

Feijó assumiu o cargo de regente, em 1836, quando a situação política do Brasil era crítica. Além da insatisfação popular, ocorreram várias revoltas e movimentos sociais durante a regência Una de Feijó.

 

No Sul do Brasil estourou a Revolução Farroupilha (Guerra dos Farrapos), enquanto na província do Pará ocorreu uma insurreição popular, que ficou conhecida como Cabanagem. Nessa mesma época estourou também uma revolta de escravos na província da Bahia, que ficou conhecida como Revolta dos Malês.

 

Feijó foi regente do Império do Brasil até 19 de setembro de 1837.

 

 

Artigo publicado em: 09/09/2019
___________________________________

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).